União Europeia aprova compra da Monsanto pela Bayer, com condições

A União Europeia anunciou nesta quarta-feira (21) que o grupo alemão do setor agroquímico Bayer pode comprar a concorrente americana Monsanto, com a condição de resolver a sobreposição de atividades em setores como sementes ou agricultura digital, anunciou a Comissão Europeia, que aprovou a fusão.

“Autorizamos o projeto de aquisição da Monsanto pela Bayer porque as soluções propostas pelas partes, acima dos 6 bilhões de euros, respondem plenamente a nossas preocupações em termos de concorrência”, disse a comissária europeia Margrethe Vestager.

Bruxelas abriu em 22 de agosto de 2017 uma investigação sobre a aquisição da empresa americana especializada em pesticidas pela Bayer, por temer que a operação reduzisse a concorrência em um mercado já concentrado.

A empresa alemã se comprometeu, durante a investigação, a ceder atividades e ativos no setor de sementes e pesticidas para evitar duplicidades com a Monsanto, assim como a conceder uma licença em sua carteira de produtos no setor de agricultura digital.

A Bayer propôs em outubro vender as atividades agroquímicas para a alemã BASF, uma transação que a Comissão Europeia examina atualmente.

A fusão entre Bayer e Monsanto, anunciada em setembro de 2016 pela quantia de 66 bilhões de euros, não poderá ser concretizada até o fim da análise de Bruxelas.

Com a decisão, a Comissão ignora ONGs como a Amigos da Terra, que escreveram uma carta na terça-feira (20) a Vestager para advertir sobre o impacto da “fusão do inferno” para o meio ambiente.