Sheik decide e Corinthians vence o Deportivo Lara pela Libertadores

Contestada pela crítica e abraçada pela torcida, a contratação de Emerson Sheik praticamente se pagou na chuvosa e brigada noite desta quarta-feira (14), no estádio de Itaquera. Depois de assegurar o Corinthians no mata-mata do Paulista com um golaço frente ao Mirassol, o camisa 7 tirou o Alvinegro do sufoco diante do bem treinado Deportivo Lara, acertou uma linda cabeçada na metade do segundo tempo e abriu caminho para a vitória por 2 a 0, a primeira do clube nesta edição da Copa Libertadores da América.

Complementando o placar, Pernía, que desviou cruzamento de Rodriguinho, decretou os números finais para que o Timão ultrapassasse os venezuelanos na tabela de classificação, chegando à liderança provisória, com quatro pontos conquistados contra três do rival desta noite. A definição do posicionamento só ficará uniforme nesta quinta-feira, com o resultado do embate entre Independiente e Millonarios, na Argentina.

Na próxima rodada da chave, os alvinegros terão pela frente a equipe do Independiente, em duelo marcado para o dia 18 de abril, às 21h45 (de Brasília), no estádio Libertadores da América, em Avellaneda, na Argentina. Um dia antes, o Lara fará uma visita ao Millonarios, em Bogotá, na Colômbia, às 21h30 (de Brasília).

Corinthians domina, mas chuta pouco

O Corinthians soube utilizar a festa da torcida, animada pela forte chuva que caiu sobre São Paulo na noite desta quarta, e começou a partida pressionando o time visitante. Clayson, chamando bastante o jogo para si, encarou a marcação adversária todas as vezes em que recebeu a bola e levou vantagem na maioria, contando com a colaboração do lento Aponte, lateral da equipe adversária, sempre atrasado.

O primeiro lance de perigo, no entanto, demorou a acontecer. Após reclamação de pênalti em cima de Romero, que recebeu lançamento em profundidade e trombou com o goleiro Salazar, foi Clayson quem foi para cima de dois venezuelanos, cortou para o meio ao tabelar com Gabriel e bateu forte. Salazar saltou para fazer a defesa e chegou a espalmar, mas ninguém do Timão chegou para conferir.

O ritmo caiu um pouco depois dos 20 minutos de bola rolando, com o Lara fechando bastante os espaços e procurando direcionar as jogadas até Romero, com menos jogo de um contra um do que Clayson. O paraguaio, no entanto, sofreu falta na entrada da área e só não iniciou o lance que terminou em pênalti no zagueiro Balbuena porque o juiz Raúl Orosco ignorou puxão de camisa no corintiano na cobrança de Fagner.

Até o intervalo, o Lara procurou adiantar suas linhas e chegou a dar trabalho para a saída de bola corintiana, roubando em vacilos de Henrique e Rodriguinho, mas sem grande efetividade na sequência. No único chute do adversário, Cássio quase aceitou bola fraca de Pedro, mas conseguiu mandar para fora. No Timão, mais das mesmas tentativas, com destaque apenas para um chute de muito longe do volante Gabriel, defendido em dois tempos por Salazar.

Sheik tira Corinthians do aperto

A etapa final não teve novidades tanto na escalação quanto no futebol que se apresentava no gramado. Sem substituições, o Corinthians continuou refém das jogadas individuais e das espaçadas descidas de Fagner pela direita, ambos sempre levando vantagem sobre a marcação. Mais ambientado, porém, o Lara conseguiu travar a ponto de nem sofrer com chutes ao seu gol nos primeiros 15 minutos.

Percebendo a dificuldade da sua equipe para furar o bloqueio adversário, Fábio Carille mandou a campo o garoto Mateus Vital na vaga de Maycon, abrindo mão de um volante e apostando no toque de bola. Quem o tirou do sufoco, porém, foi Emerson Sheik. Até então sumido, ele dominou bola na área e ajeitou para Romero, que cruzou na medida para o herói de 2012 testar para o chão e vencer o goleiro Salazar.

Herói da noite, Sheik pediu para sair logo na sequência e acompanhou do banco de reservas um Corinthians muito mais relaxado trocar passes com tranquilidade na lateral do campo até que, aos 31 minutos, Clayson deu belo toque de letra para Rodriguinho. Calmamente, o meia conduziu a bola pela esquerda e cruzou para a área. Pernía tentou interceptar e desviou para trás, tirando o goleiro Salazar da jogada e ampliando o placar para os anfitriões.

Caso caprichasse um pouco mais e aproveitasse o fôlego de Dutra, que entrou pressionando bastante a defesa adversária, o Alvinegro poderia ter marcado outras vezes. Totalmente batido, o Lara ensaiou uma pressão na saída de bola, mas não conseguiu diminuir a desvantagem.