O resgate dos valores humanos em prol de uma sociedade sustentável

Inicio esta reflexão tendo como base os valores humanos mencionados na publicação anterior.

Estamos vivendo uma evolução tecnológica absurda que vem potencializando o nosso consumismo de forma significativa.  A liberdade de expressão, a intensificação de acesso ao mundo virtual e todas as grandes mudanças são exacerbadas e têm causado grandes impactos em nossas vidas.

Por conta disso, nos deparamos com uma sociedade que visa, acima de tudo, o “TER” e não o “SER” onde o que TENHO tem mais valor do que SOU.

Há uma ausência de valores que acabou contribuindo e formando adultos sem referenciais de cidadania e respeito ao próximo. Há a necessidade de resgatarmos a maneira de educar nossas crianças.

Hoje aprende-se português,  inglês, matemática, história, geografia, arte…mas não se aprende o amor ao próximo, solidariedade, compaixão, empatia, respeito à diversidade, cooperação, ética, lealdade…

Nossos jovens, cada mais vez mais se preocupam em ser o número 1 mas não aprendem valores sólidos que os levam a verdadeira felicidade. Os pais, oprimidos pela dura realidade em ter que dedicar-se boa parte de seu tempo ao trabalho, tendem a deixar aos professores, a tarefa de educar seus filhos. Desta forma, o processo de educação, toma outro rumo.

É notório  prioridades, evoluções tecnológicas, dissiminação da informação e necessidade de estar sempre conectado com o mundo, porém na contra-mão, os valores ficaram no passado e, quando apontados, ficam no campo do discurso e muito distantes da ação.

Em sala de aula é perceptível a dificuldade do aluno em seguir regras, a falta de disciplina, responsabilidade, motivação, criatividade pelo simples fato de não terem internalizado tais valores  em suas relações familiares. Nossas crianças pouco socializam, mesmo porque, o mundo virtual foi potencializado pela ausência de seus pais.

A tolerância à frustração é quase nula.

Encontramos crianças com seus quartos altamente estruturados e mobiliados com tv, computador, som e afins, porém muito solitários em suas relações familiares.

Perdemos espaço para a realidade virtual. Poucos fazem refeições com suas familias.

Por conta desse consumismo desenfreado, pais são consumidos pelo trabalho, pela ânsia de aumentar a sua renda com o intuito de dar mais e mais para os seus filhos compensando ‘inconscientemente” a sua ausência dentro de casa.

E concomitantemente, vemos um mercado de trabalho composto por uma infinidade de profissionais altamente qualificados, com seus excelentes currículos enfatizados por diversas pós, graduações, MBA, doutorado, mestrado…porém, com sérios problemas de relacionamento pois não conseguem trabalhar em equipe, não sabem dividir, não compartilham ideias e opiniões, não são adaptáveis ao novo e muito menos, conseguem perceber que talentos individuais são desperdiçados quando não há espírito de equipe. Jovens com extrema dificuldade de relacionamento intra e interpessoal, além da dificuldade de autocritica, sim, pois senso crítico de responsabilizar o outro pelos seus fracassos, têm e muito!

Não podemos mudar o que passou, mas podemos interferir significativamente no aqui e agora e consequentemente, no futuro.

Que tenhamos a nossa mente aberta para o novo!

Vamos refletir sobre o que somos e porque agimos desta ou daquela maneira em determinada  situação até encontrarmos no íntimo, as nossas maiores qualidades. Com elas, despontará uma nova pessoa, capaz de construir caminhos e um mundo mais tolerante e pacífico.

Afinal, a vida nos dá aquilo que semeamos com nossos pensamentos, nossas atitudes e crenças. É a verdadeira lei da ação e reação.

Não há infelicidade nem insatisfação nos olhos daqueles que agem com bondade, com intenções elevadas, com boa vontade. Quem vive assim é feliz, é amado e reconhece o seu papel no mundo. isso faz todo o sentido.

De que vale todo o conhecimento de um físico ou químico se utiliza o seu potencial na fabricação de bombas na destruição das nações?

De que vale a ciência se não tocar o coração dos homens, se não trouxer paz para a família e para a sociedade?

A ciência e a tecnologia são extremamente importantes, de grandes contribuições e demonstram o desenvolvimento da inteligência humana, mas sua utilização precisa ser direcionada para o “bem”e para o caráter.

Há a necessidade de resgatarmos individualmente os valores humanos e à partir disso, através de nossas ações, pensarmos e contribuirmos efetivamente para o outro e, consequentemente para uma sociedade sustentável.

Cada homem é essencial para a construção do mundo. Cada gesto de amor é indispensável para salvarmos a humanidade e promovermos a justiça, a paz e a dignidade na terra.

Temos um papel para cumprir no planeta, que é a nossa missão e cabe somente a nós.

O mundo espera por isso e precisamos urgentemente fazer a nossa parte!

Olhe para si mesmo, olhe para o outro e, consequentemente, terás um olhar para a sociedade. Este é o verdadeiro sentido.

“Saber e não fazer nada, é o mesmo que não saber” . (Provérbio Chinês – Autor Desconhecido).

Precisamos sair do campo do discurso e “agir” ! Não há mais tempo para esperar porque a humanidade pede por socorro!

Sobre Regiane Pinheiro 11 Artigos
Regiane Pinheiro Psicóloga com especialização em gestão de pessoas nas organizações. Atuante na área da educação e orientadora vocacional.