A renúncia de ser PERFEITO

A RENÚNCIA DE SER PERFEITO 
 
Não é o crítico que importa; nem aquele que aponta onde foi que o homem tropeçou ou como o autor das façanhas poderia ter feito melhor. O crédito pertence ao homem que está por inteiro na arena da vida; cujo rosto está manchado de poeira, suor e sangue; que luta bravamente; que erra, que decepciona, porque não há esforço sem erros e decepções; mas que, na verdade, se empenha em seus feitos; que conhece o entusiasmo, as grandes paixões; que se entrega a uma causa digna; que, na melhor das hipóteses, conhece no final, o triunfo da grande conquista e, que na pior, se fracassar, ao menos fracassa ousando grandemente. Trecho do discurso ” Cidadania em uma república” (ou “O homem na arena”), proferido na Sorbornne por Theodore Roosevelt, em 23 de Abril de 1910.
 
No texto da semana passada, quando contei que estive em uma reunião na casa do empresário de Ivete Sangalo, falei sobre como nós nos conectamos uns aos outros, e isso esta altamente relacionado a ser você mesmo, expor suas opiniões (e nunca impor)e ter coragem para expor principalmente as suas imperfeições. Falamos sobre as imperfeições conectarem os seres humanos uns aos outros. E, foi assim que cheguei na minha identidade musical e encontrei o meu propósito de vida; quando finalmente tive a coragem de jogar fora a máscara que eu usava todo santo dia, e tive então coragem de assumir todas as partes do meu ser. 

No livro ” A coragem de ser imperfeito”, de Brenê Brown, uma de minhas autoras favoritas, ela define os 10 sinais de uma vida abundante, que indicam o que uma pessoa plena se esforça para cultivar e do que ela luta para se libertar.

UMA PESSOA PLENA: 

1. Cultiva a autenticidade; se liberta do que os outros pensam.
2. Cultiva a auto-compaixão; se liberta do perfeccionismo.
3. Cultiva um espírito flexível; se liberta da monotonia e da impotência.
4. Cultiva gratidão e alegria; se liberta do sentimento de escassez e do medo do desconhecido.
5. Cultiva intuição e fé; se liberta da necessidade de certezas.
6. Cultiva a criatividade; se liberta da comparação.
7. Cultiva o lazer e o descanso; se liberta da exaustão como símbolo de status e da produtividade como fator de autoestima.
8. Cultiva a calma e a tranquilidade; se liberta da ansiedade como estilo de vida. 
9. Cultiva tarefas relevantes; se liberta de dúvidas e suposições.
10. Cultiva risadas, música e dança; se liberta da indiferença e de “estar sempre no controle”. 
 
Eu sei que a maioria de nós ainda vive num mundo competitivo, e isso cansa demais. É uma luta pra tentar ser melhor que o outro, e nessa luta você deixa de lado a sua identidade e se torna refém da perfeição, da competição, do que a sociedade pensa, e principalmente das chamadas “crenças limitantes”. Mas, e se a partir de agora você deixasse tudo o que foi lhe dito de lado e alguém lhe dissesse que você pode ser você mesmo? E se esse mesmo alguém te dissesse que é muito importante pra evolução do planeta que você seja você mesmo? Escreva num papel tudo o que acreditou até hoje sobre você mesmo e sobre a vida, e queime, ou jogue num rio. É no literal da palavra. (risos) Experimente fazer isso. Escreva suas crenças agora mesmo, e depois as queime, ou jogue num rio, principalmente se forem crenças que te limitam. Geralmente, sempre são. 
 
Pensa comigo: Se você nasceu assim, por que terá que ser como os outros acham que você deve ser? Tem algo muito errado sobre isso. Sabe o que é? É simplesmente voce acreditar nisso. Olhe pra dentro de você, silencie por algum tempo, pegue uma caneta e um papel e escreva quem você seria, e tudo o que você faria, se tivesse a certeza de que tudo daria certo no final. O que você escolheria fazer se tivesse a certeza absoluta de que você ganharia muito bem por isso? Deixe a sua imaginação solta, e mesmo que você trabalhe como um grande empresário numa multinacional, e quer largar tudo pra vender côco na praia, e só não vende porque tem vergonha do que vão pensar sobre você. Imagine que você nao tem vergonha de nada, e escreva o que vier na sua mente. Escreva tudo o que você realmente quer pra sua vida, mas esteja também aberto para as imensas possibilidades, para o inimaginável. É sim importante ter suas metas, objetivos, planos traçados, mas de certa forma isso pode te limitar. Então tenha em mente o que quer pra você mas esteja aberto para as coisas novas, para descobrir os verdadeiros sonhos de sua alma. Você vai descobrir sonhos que nunca imaginou sonhar. Abra a mente. Sonhar é ilimitado. O que você espera também está esperando por você. Acorde todos os dias esperando presentes do Universo, e perceba os milagres acontecendo em sua vida, todos os dias.
 
É claro que não temos poder para alterar certas coisas, como herança genética e as influências que tivemos no passado. Mas temos o poder de decidir o que faremos com essa bagagem daqui para frente. Sei que não dá pra mudar o começo, mas se a gente quiser, vai dar pra mudar o final. “E, apesar de muitas vezes você não ser responsável por muitas coisas que acontecem em sua vida, têm responsabilidade pela atitude ou comportamento que tomará diante do que lhe aconteceu.”, Jacob Petry.
Você não é o que lhe acontece. O que te define é o que você faz com o que lhe acontece.
Use a sua imaginação para criar a realidade que você quer. Precisamos estar vulneráveis se quisermos mais coragem, se quisermos viver com ousadia. Lembre-se de que não existem erros, e sim resultados. Quando você se apega nessa frase, você tem muito mais coragem pra ousar dentro dos teus sonhos. Fracasso não tem a ver com “não conseguir”. Voce não é um fracassado porque ainda não conseguiu o que quer. Thomas Edison fez milhares de tentativas até conseguir finalmente criar a lâmpada elétrica, em 1879. Ele precisava encontrar uma substância que pudesse ser aquecido por um longo período sem que fosse consumido pelo próprio calor, e na tentativa de encontrar essa substância, Thomas Edison testou, sem sucesso, milhares de materiais, inclusive casca seca de batata doce. É sério!
 
Mude suas crenças enraizadas. Elas te limitam. É desperdício pensar que você não pode ser ou fazer algo. Nós podemos tudo. Utilizamos apenas um por cento do nosso potencial. Se você se lembrar que somos seres espirituais vivendo experiências humanas, você vai se sentir mais encorajado a tentar de tudo, até mesmo os sonhos que parecem “malucos” aos seus olhos. 
 
Se você segue as crenças de alguém, você no máximo chegará aonde aquela pessoa chegou. Vá além. A melhor escola ainda não existe, está para ser criada, e pode ser por você. A música mais linda ainda pode ser composta. O avião não existia antes de Santos Dumont imaginá-lo em sua mente. Pense sempre nisso. A melhor rede social ainda não foi inventada. Você pode ser a pessoa que trará a cura de uma doença horrível que ainda não foi encontrada. E, dentro de nossa imaginação, as ideias são ilimitadas. 
 
E, o mais importante, renuncie a perfeição. Cansa demais, e faz mal a saúde. Além de nos afastar das pessoas, ninguém se identifica com quem aparenta ser “perfeito”.Não se compare, sabe por que? Você sempre vai perder. Afinal, quando você se compara, está comparando o palco do outro com o seu bastidor. Você conhece todas as suas fraquezas, e quando olha pro lado pra se comparar, você só enxerga o que o outro quer te mostrar. 
 
Ah! Se você ouvir muitas críticas ou conselhos vindo aleatoriamente de pessoas julgando a sua vida, e isso te chatear, lembre-se: essas pessoas estão te criticando porque você está incomodando elas. Provavelmente gostariam de estar no seu lugar, e como não estão, elas rejeitam. As críticas as deixam um pouco melhor.
Lembrem-se: a crítica maldosa é só um pedido de socorro vindo de quem critica. Tudo é amor. Ou a presença dele ou a falta. Então se alguém o agredir a partir de agora, você já sabe que é um pedido de amor. Continue fielmente em seu caminho, e ao invés de responder algo, respire, e não pire! Agora, se conseguir responder com amor, essa é a melhor opção. Mas, tem que ser de coração. Se não for, siga a vida, e não fique remoendo aquilo. Vai passar! É seguro! 
 
Quando alguém solta essa frase clichê de que o mercado de trabalho é muito competitivo e por isso você precisa ser o melhor no que faz, isso realmente não faz mais sentido pra mim. Essa crença adoece as pessoas. E, é o mal do século, como diria o famoso Augusto Cury. Tá na moda “crise de ansiedade”. Não acredite nisso. Ao invés disso, faça as pazes com o seu coração e lembre-se que todos os seres humanos são iguais, temos os mesmo potenciais para encontrar as nossas verdadeiras paixões e o que nos faz muito bem, sendo feliz com elas. Sendo saudável, sem exageros. Essas pessoas acham bonito dizer que trabalham pra caramba e que não tem tempo. Elas se escondem atrás do trabalho. Com certeza, tem alguma fraqueza escondida que elas não querem revelar, nem mesmo pra elas mesmas. A vida tem que ser leve. Equilibrada. Temos que ter tempo pro lazer, pra saúde, pra educação, pra nossa família, pro nosso trabalho, espiritualidade, e desenvolvimento pessoal, claro. É claro que as vezes estamos mais distantes de nossas famílias, porque o trabalho esta precisando mais de nós no momento. Isso é normal. Se torna problema quando a sua vida se baseia somente em uma dessas coisas. 
Seja você mesmo, e se alguém ou algo te mostrar que ser você não é o suficiente, tenha plena certeza de que esse algo e esse alguém também não são suficientes para você.
Afinal, o que você busca também está buscando por você. Então respire, e entre no seu fluxo. 
Bruna Pinheiro


A renúncia de sermos perfeitos ! Tá aí um tema que está se apresentando a nós por si só. Ouvia muito de meus avós que se a gente não aprende no amor, a gente aprende na dor. E para mim o que vem acontecendo na política de nosso país é uma tremenda limpeza. Máscaras estão caindo, e o mundo está mostrando para a gente na dor, que “a mentira tem perna curta”, e essa sim era uma expressão de meu pai. Todos nós somos imperfeitos, e essa é a beleza da vida, isso faz parte de nossa condição humana. Do contrário não teríamos o que aprender, não precisaríamos sofrer, e não valorizaríamos as alegrias e o amor de um mundo de dualidades, a vida seria um tédio.
 
Então o que é essa utopia? A busca da perfeição é o que nos move a melhorar sempre, mas precisamos alinhar expectativas com nós mesmos, e compreender que a busca e a evolução são necessárias, mas que nunca atingiremos a tal perfeição. Não somos melhores ou piores que os outros, mas diferentes. E somos incríveis por isso. Precisamos perceber e aceitar nossas dificuldades e usá-las a nosso favor. Um dos livros que mais me conecto desde pequena é o Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Além de aprender a assumir responsabilidades, ele me ensinou que “a perfeição não é quando não há nada mais a acrescentar, mas sim quando não há nada mais a tirar”, ou seja, o minimalismo é essencial, só as coisas essenciais são necessárias para a perfeição. Se eu te perguntar, como é um dia perfeito para você, dificilmente irá me dizer que é um dia cheio de coisas complicadas e complexas, mas um dia leve, de descanso e com a família. É disso que estou falando, ou melhor, o que Saint-Exupéry quis dizer. E o essencial é invisível aos olhos. rs
 
Complicamos quando podemos descomplicar. Buscamos o impossível e nos comparamos, quando isso só trás sofrimento. No mercado profissional, nos diminuímos ou nos calamos, porque nos comparamos. E dessa forma, dificilmente nos destacamos, o que como uma bola de neve, acarreta em não sermos vistos, e não valorizarem nossos incríveis poderes de sermos quem somos. E no mercado da música, não seria diferente. Aliás, a arte como um todo é um segmento de utopias, de máscaras e de idolatria. Se constrói uma imagem de perfeição, do intangível, do desejável. Já foi tão discutido que o mercado é movido por fãs e que o fã precisa ver na “estrela” o inatingível, o intocável, e por isso a expressão “estrela”. Em momento algum em frente a um ídolo, um fã vai se sentir igual a ele, ou se lembrar que aquele artista é tão humano quanto ele. Já li em muitas reportagens internacionais que a Madonna por exemplo é uma artista que nunca fez uma foto com um fã. Os artistas internacionais cobram o chamado “meet & greet”, ou seja, cobram ao contratante do show para receberem fãs nos camarins. E a Madonna é uma que nunca cobrou, mas também nunca fez atendimento a fãs no camarim. E isso faz parte de sua estratégia de marketing. Prefere manter seu patamar de perfeição, para não perder seu posto de “desejável”. E por muito tempo essa teoria colou. Mas hoje, com a acessibilidade da internet, com a proximidade e exigência dos fãs, acho difícil que isso cole. Artistas nacionais vem perdendo seus fãs, por serem taxados de antipáticos. Um exemplo muito discutido n
 os bastidores do show biz é a Paula Fernandes. Não a conheço e por isso não posso julgar, estou me referindo a uma consequência e avaliando decisões de marketing associados a determinadas carreiras, apenas isso. Existem sim outros pontos a se avaliar, mas que não serão discutidos aqui, como repertório, divulgação, etc.
 
Estamos em pleno século 21, tudo está mais acessível, e as pessoas não estão só mais exigentes, como mais descoladas. E sinceramente valorizam muito mais quem é autêntico, com quem podem se identificar, do que alguém com quem nunca poderão chegar perto. Hoje, essa utopia dá preguiça. Seja você mesmo, e atraia mais fãs.
 
Camila Chagas