No Morumbi, São Paulo é derrotado pelo Cruzeiro pela Copa do Brasil

O São Paulo começou muito mal a sua série de jogos decisivos. Na fria noite desta quinta-feira, o Tricolor foi vítima de um roteiro cruel clássico do futebol. Jogando contra um organizado Cruzeiro, o time de Rogério Ceni sentiu a ausência do lesionado Cueva e perdeu por 2 a 0 em pleno Morumbi, com direito a gol contra de Lucas Pratto. Para aumentar o drama, o volante Hudson, ex-jogador do clube, deu números finais à fatídica partida.

Com o resultado, o São Paulo volta a perder após oito jogos de invencibilidade e precisará vencer a Raposa por três gols de diferença em Belo Horizonte para avançar às oitavas de final da Copa do Brasil. Caso devolva o placar, a vaga será definida nos pênaltis. O jogo de volta está marcado para a próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Mineirão.

A derrota coloca o Tricolor sob enorme pressão para o clássico contra o Corinthians, às 19 horas deste domingo, novamente no Morumbi. O técnico Rogério Ceni terá apenas dois dias para elevar o moral de seus comandados para o duelo de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

O jogo – Empurrado por mais de 40 mil torcedoresO São Paulo começou tomando a iniciativa e tentou pressionar o Cruzeiro nos primeiros minutos da partida. A equipe treinada por Mano Menezes, contudo, se postou bem em seu campo de defesa e não deixou que o goleiro Rafael fosse ameaçado.

Errando muitos passes, o Tricolor só foi conseguir invadir a área mineira graças a uma jogada individual. Aos 19 minutos, Jucilei avançou, passou por três marcadores e deixou Luiz Araújo livre na esquerda. O atacante bateu cruzado em direção ao gol, mas Rafael conseguiu mandar para escanteio.

O susto fez o time celeste sair da retranca e se arriscar mais à frente. A maior exposição por parte da Raposa deixou o jogo mais aberto. Aos 37, Jucilei acionou Wellington Nem em contra-ataque, mas Rafael chegou antes e salvou o Cruzeiro. No minuto seguinte, a resposta: Rafinha recebeu cruzamento da esquerda e pegou de primeira para isolar.

Mesmo com uma posse de bola de 63% no primeiro tempo, o São Paulo não conseguiu furar o bloqueio da equipe de Belo Horizonte, que conseguiu anular as principais peças tricolores com a marcação dobrada implantada por Mano Menezes.

A segunda etapa começou na mesma toada da primeira. Apesar de ocupar o campo de defesa adversário, o São Paulo não conseguia criar jogadas agudas, o que obrigou Rogério Ceni a colocar o meia Thomaz no lugar de Wellington Nem.

Mal a substituição acabara de ser feita, o Cruzeiro abriu o placar. Aos 16 minutos, após cobrança de falta pela direita, Lucas Pratto testou contra o próprio gol ao tentar afastar o perigo. No primeiro lance depois do fatídico erro, o argentino quase se redimiu em cabeçada, que só resultou no empate porque Rafael caiu para fazer grande defesa.

Mas, aos 24, o que era ruim piorou. E muito. Após cobrança de falta pela esquerda, a zaga do Tricolor voltou a falhar pelo alto e viu o volante Hudson subir e testar no canto direito de Renan Ribeiro, que foi pego de surpresa pelo cabeceio e não conseguiu evitar o segundo gol cruzeirense.

Na base do desespero, o São Paulo tentou diminuir o prejuízo nos minutos finais. Para isso, abusou dos cruzamentos e lançamentos, que foram todos afastados pela boa defesa mineira, responsável pelo ótima vantagem construída pelo time de Minas Gerais.

(Créditos: Gazeta Esportiva)