Confronto entre manifestantes e policiais na Ucrânia deixa centenas de feridos

Confrontos eclodiram entre manifestantes e policiais em frente ao parlamento da Ucrânia na capital do país, Kiev, nesta segunda-feira (31). A manifestação começou depois que diversos deputados declararam apoio a reformas por uma maior autonomia nas regiões do leste do país, disputadas por separatistas e forças pró-governo, segundo informações da BBC Europa.

Diversos manifestantes carregavam faixas de apoio ao partido ultra-nacionalista Svoboda (Liberdade). No meio da confusão entre manifestantes e policiais, um explosivo semelhante a uma granada foi lançado em direção ao parlamento. Um repórter da AFP descreveu ter visto várias pessoas cobertas de sangue após a explosão.manifestantes e policia ucrania

Segundo informações do Marshable, mais de 100 pessoas ficaram feridas no confronto. Outras 30 foram detidas após a explosão do artefato, de acordo com o portal Hromadske International.

 

Dois dos militares feridos estão em estado grave, apontou a Guarda Nacional da Ucrânia, corpo de segurança militarizado vinculado ao Ministério do Interior. O correspondente da agência local Interfax Ukraini informou que um dos policiais perdeu as duas pernas.

O chefe da polícia de Kiev, Aleksandr Tereschuk, informou que o homem que jogou a granada contra os agentes de segurança já foi detido e está sendo identificado.

Um soldado de 25 anos foi morto a tiros durante os confrontos, confirmou o assessor do Ministério do Interior, Anton Gerashchenko

A praça da Constituição está envolvida em fumaça, enquanto os radicais continuam lançando bombas de fumaça, garrafas e paralelepípedos contra o cordão policial.manifestantes e policia ucrania3

Cerca de 7 mil pessoas morreram desde que os confrontos separatistas eclodiram na Ucrânia em março do ano passado, logo após a anexação da região da Criméia pela Rússia. Recentemente, as regiões de Donetsk e Lugansk foram tomadas pelos rebeldes e declaradas repúblicas.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, agendou uma conferência para comentar os confrontos nesta segunda-feira.

O parlamento da Ucrânia aprovou em primeira leitura um projeto de reforma constitucional sobre a descentralização do país, contemplada nos acordos de Minsk para o regular o conflito nas regiões orientais ucranianas de Donetsk e Lugansk. A favor das remodelações votaram 265 deputados, 39 a mais do número necessário para sua aprovação.

Embora as emendas, propostas pelo presidente Poroshenko, não incluam a concessão de um status especial às zonas controladas pelas milícias separatistas pró-russas, os setores nacionalistas as consideram uma concessão inaceitável aos rebeldes.

(Créditos: R7)