São Paulo vira sobre o Atlético-PR e deixa a zona do rebaixamento

Como entoou a sua torcida após mais uma partida dramática, o São Paulo foi um “time de guerreiros” neste sábado e deu um passo importante na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Abrindo uma série de cinco jogos como mandante no Pacaembu, que recebeu mais de 25 mil pessoas nesta noite, o Tricolor venceu o Atlético-PR, de virada, por 2 a 1, e terminará a 28ª rodada do torneio nacional fora do grupo de descenso.

Apesar de ter dominado a partida, o time treinado por Dorival Júnior saiu atrás no placar. Logo no princípio do segundo tempo, Douglas Coutinho marcou para o Furacão. Pouco depois, contudo, Cueva deixou Lucas Pratto na cara do gol e o argentino empatou, encerrando um jejum de 11 jogos sem marcar gols. Nos minutos finais, o peruano deu outra grande assistência. Desta vez para Maicosuel, que fez o seu primeiro tento com a camisa tricolor.

Com 34 pontos, o São Paulo ganhou provisoriamente seis posições e assumiu o 11º lugar do torneio nacional. Independentemente dos resultados deste domingo, o time do Morumbi terminará a rodada fora da famigerada zona de rebaixamento. Já o Atlético-PR, com 35 pontos, fica na décima posição.

Mais aliviado, o São Paulo tentará se manter longe de problemas em duelo com o Fluminense, na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Maracanã. O Atlético-PR, por sua vez, buscará se reabilitar diante do Vitória, quinta-feira, às 20 horas, no Barradão.

O jogo – O São Paulo dominou completamente o primeiro tempo, mas não furou a retranca do Atlético, que se postou com os 11 jogadores no campo de defesa em grande parte dos 45 minutos iniciais. Com boas inversões e muita movimentação, o time tricolor chegou a ter 68% de posse de bola em determinados momentos, muito embora isso não fosse traduzido em chances de gol.

Tanto que as raras vezes em que a meta do goleiro Weverton foi ameaçada ocorreram em contra-ataques. Como aos 31 minutos, quando Hernanes roubou a bola no meio-campo e acionou Marcos Guilherme na esquerda. O atacante bateu colocado da entrada da área, mas o arqueiro atleticano caiu bem e espalmou. No rebote, o zagueiro Thiago Heleno afastou e evitou o gol de Lucas Pratto.

Lance parecido aconteceu oito minutos depois: após roubada de bola no campo de defesa, Cueva carregou em velocidade e, com o campo de visão aberto, chutou forte e rasteiro de fora da área, passando rente à trave direita. Nos minutos finais, com a torcida apreensiva, os mandantes insistiram em cruzamentos que foram facilmente rebatidos pela defesa rubro-negra.

O São Paulo voltou para o segundo tempo com a mesma postura, mas foi castigado pela falta de criatividade logo de cara. Aos cinco minutos, o meia Sidcley cruzou da esquerda, Felipe Gedoz  testou firme no chão e Sidão espalmou. No rebote, o atacante Douglas Coutinho, sozinho, empurrou para o fundo do gol, aumentando a agonia tricolor no Pacaembu.

Tendo de correr atrás do placar com a torcida ainda mais impaciente, o Tricolor não se desesperou, continuou em cima do rival e, enfim, balançou as redes de Weverton. Aos 14 minutos, Cueva avançou pela direita e deu passe certeiro para Pratto que, meio sem ângulo, bateu cruzado, sem chances para o arqueiro atleticano, inflamando de vez o estádio municipal.

No fim, a partida ficou aberta, com ambas as equipes buscando o gol da vitória. Mas foi o São Paulo quem o encontrou. Aos 37 minutos, o peruano, dono da camisa 10 tricolor voltou a ser decisivo ao dar outra assistência. Desta vez foi Maicosuel quem aproveitou, tocando na saída de Weverton e fazendo a festa da torcida no Pacaembu.

(Créditos: Gazeta Esportiva)