São Paulo vence Redbull e se garante líder do grupo B

O Morumbi recebeu apenas 9.226 torcedores na tarde desse domingo, viveu um protesto fúnebre antes da bola rolar e teve um São Paulo melancólico durante toda a primeira etapa do duelo contra o Red Bull Brasil. Tudo mudou com a entrada de Valdívia, aos 19 minutos da etapa final, depois dos poucos presentes nas arquibancadas tanto insistirem. O meia-atacante mexeu com o jogo e foi fundamental para a vitória de virada por 3 a 1 do Tricolor.

O resultado garantiu a equipe são-paulina na liderança do grupo B do Campeonato Paulista, com 17 pontos, dois a mais que o São Caetano. Por isso, o Azulão terá de enfrentar o São Paulo como mandante no próximo fim de semana, quando as quartas de final serão abertas, enquanto o Tricolor, no meio de semana seguinte, jogará em casa para definir a vaga às semifinais.

Até lá, Diego Aguirre já será o comandante do esquadrão são-paulino, que nesse domingo teve André Jardine à beira do campo de forma interina. O novo auxiliar da comissão técnica permanente do elenco profissional apostou na mescla de jovens revelações com a experiência do veteranos.

Entre poupados e opções fora de ação por qualquer questão física, Jardine não contou com Cueva, Hudson, Militão, Sidão, Reinaldo, Edimar, Jucilei e Anderson Martins. Chance, então, para Caíque, Pedro, Júnior Tavares, Bruno, Tréllez e Aderllan.

No primeiro tempo, nada funcionou como o esperado. Até o goleiro Jean, famoso por trabalhar bem com os pés, parecia desconcentrado. E a primeira de pelo menos quatro saídas erradas do goleiro no jogo gerou o justamente o primeiro gol da partida. Edmílson aproveitou a bobeada e mandou para as redes. Sorte dos mandantes que Nininho marcou contra e deu aquela força para o São Paulo em um momento complicado.

A impaciência nas arquibancadas e o nervosismo em campo eram notórios. O menino Pedro, junto com Bruno, foram os piores do São Paulo até o intervalo, que chegou junto com muitas vaias.

Em compensação, os são-paulinos lavaram a alma na segunda etapa. Com Marcos Guilherme no lugar de Tréllez e Liziero na vaga de Pedro, o time passou a se impor e pressionar. Nenê era o destaque até então.

Mas, quem fez a diferença foi Valdívia. Pedido pelos torcedores, o meia entrou no lugar de Caíque e, em poucos minutos, mudou o jogo. Valdívia participou da jogada que culminou no gol de Arboleda, de cabeça, e deu uma linda assistência para Marcos Guilherme aliviar os tricolores e garantir a vitória de virada. A reação toda aconteceu em menos de dez minutos com Valdívia em campo.

No fim, apesar do clima melancólico pelo baixo público presente, o São Paulo conseguiu amenizar a crise e até receber alguns aplausos, algo raro nos últimos tempos.

Agora, antes de pensar no São Caetano, a equipe tricolor terá o CRB pela terceira fase da Copa do Brasil, na quarta-feira, em Maceió. O duelo de ida teve vitória são-paulina por 2 a 0.

(Créditos: Gazeta Esportiva)