São Paulo vence Atlético-PR e quebra tabu de 81 anos na Arena da Baixada

O São Paulo conquistou um vitória histórica e inédita durante a tarde deste sábado (09), em duelo que abriu a 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com uma atuação segura na defesa, o Tricolor contou com um erro infantil da zaga adversária para derrotar o Atlético-PR por 1 a 0, com gol de Nenê, e pôr fim ao tabu de jamais ter vencido na Arena da Baixada, onde havia perdido 13 vezes e empatado outras cinco desde a inauguração do estádio, em 1999. Antes da reforma, no antigo estádio Joaquim Américo, o São Paulo só tinha vencido o Atlético-PR uma única vez, em 1937, há quase 81 anos.

Com o resultado, além de dar o troco pela eliminação na Copa do Brasil, o time dirigido por Diego Aguirre chegou aos 20 pontos e assumiu provisoriamente a vice-liderança do Brasileiro, liderado pelo Flamengo, com 23. Já o Furacão do cada vez mais pressionado Fernando Diniz segue na zona de rebaixamento, figurando no 17º lugar, com meros nove pontos.

Na última rodada antes da pausa para a Copa do Mundo, o São Paulo receberá o Vitória no Morumbi, na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília). O Atlético-PR, por sua vez, tentará se reabilitar diante do Botafogo, no Estádio Nilton Santos, a partir das 21 horas de quarta-feira.

O Jogo – O Atlético-PR começou ligeiramente melhor, explorando as beiradas do campo. Mas, com a zaga adversária bem postada, o time rubro-negro testou Sidão de longe. Aos 15 minutos, Pablo chutou da intermediária e exigiu grande defesa do goleiro tricolor.

Após a pressão inicial, o São Paulo adiantou as suas linhas e passou a dificultar a saída de bola do Furacão. Mas sua melhor chance no primeiro tempo ocorreu em contra-ataque puxado por Araruna, passando por Diego Souza e Nenê até chegar em Everton, que bateu cruzado na esquerda. Com o pé, Santos evitou o primeiro gol da partida.

O time da casa respondeu aos 43 minutos, quando Raphael Veiga tabelou e arriscou de fora da área. Sidão não conseguiu agarrar e, no rebote, Anderson Martins afastou a bola, frustrando a torcida rubro-negra no último lance de perigo antes do intervalo.

O São Paulo continuou apostando nos contra-ataques na volta para a etapa complementar. Em um deles, Nenê cruzou na cabeça de Diego Souza, que viu Santos se esticar todo para espalmar e salvar o Furacão. Pouco depois, Nenê recebeu na esquerda, dominou com o peito e soltou a bomba. A bola balançou a rede pelo lado de fora e assustou os atleticanos presentes na arena.

Em uma falha infantil da zaga atleticana, o Tricolor abriu o placar aos 15 minutos. Após tentar sair jogando de dentro da área, Bruno Guimarães perdeu a bola para Nenê. Ele acionou Everton, que foi derrubado por Camacho. Na cobrança do pênalti, Nenê bateu fraco, mas o suficiente para ela passar por baixo de Santos e entrar no gol.

Buscando ao menos o empate, Diniz colocou Guilherme e Bill nas vagas de Wanderson e Pablo. Aguirre respondeu com as entradas de Petros e Lucas Fernandes nos lugares de Araruna e Nenê, que saiu a contragosto. Aproveitando o nervosismo dos anfitriões e a bronca da torcida, os são-paulinos seguraram a pressão nos últimos minutos e garantiram a primeira vitória tricolor na história da Arena da Baixada.

(Créditos: Gazeta Esportiva)