Ponte Preta sofre virada para o Vitória e cai para a Série B

A Ponte Preta foi rebaixada para a Série B do Campeonato Brasileiro. Porém, o jogo não foi encerrado. Aos 39 minutos, torcedores invadiram o gramado e iniciou uma confusão generalizada. A opção das autoridades da partida foi pelo fim do jogo antes mesmo do apito final.

Não faltou emoção no duelo entre Ponte Preta e Vitória. Pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Vitória conseguiu uma virada no segundo tempo e venceu por 3 a 2. Com uma expulsão ainda no primeiro tempo, o time de Campinas viu a vantagem de 2 a 0 cair por terra e sofrer o revés na segunda etapa. A Macaca ainda teve de se segurar e conter a pressão exercida pelos baianos durante praticamente.todo o jogo, mas sucumbiu à pressão e saiu derrotada com o rebaixamento.

O primeiro tempo teve momentos bem distintos. No início, o time da casa se impôs e marcou dois gols com menos de 20 minutos. Entretanto, a expulsão de Rodrigo mudou totalmente a partida. A equipe de Campinas passou do ataque para a defesa e viu o Vitória com maior posse de bola, pressionando a saída da Ponte, mas, inicialmente, com pouca efetividade. Nos minutos finais, o time baiano obrigou Aranha a trabalhar com mais ênfase. O principal lance aconteceu em dois momentos consecutivos, em que o arqueiro fez duas boas defesas.

O segundo tempo contou com amplo domínio do Vitória. A pressão sobre a Ponte Preta surtiu efeito e o que aconteceu na primeira etapa se repetiu na segunda, mas do lado contrário. Em menos de um minutos o time baiano chegou ao empate. Primeiro com André Lima e depois com Tréllez o placar ficou em 2 a 2. Aos 36 minutos veio a virada, novamente com Tréllez, que apenas completou para o gol o contra-ataque puxado por Danilinho.

O JOGO

Os primeiros minutos mostraram qual seria a tônica da partida. Pressão na saída de bola, posse e agressividade ofensiva foram as alternativas da Ponte Preta para depender apenas de si e evitar o rebaixamento para a Série B. Acuado no campo de defesa, o Vitória abusava dos chutões e dava a bola para o time de Campinas sair jogando com mais tranquilidade.

Depois da primeira oportunidade perdida com Leo Gamalho, a Ponte chegou ao primeiro gol aos seis minutos. Lucca aproveitou o cruzamento que passou por todo mundo, dominou e bateu firme para as redes, sem chances para Fernando Miguel. Poucos minutos depois, Danilo Barcelos quase marcou o segundo com uma bela cobrança de falta, mas defendida pelo arqueiro do Vitória.

Aos 14 minutos a pressão mesmo após o primeiro gol voltou a surtir efeito. Wallace puxou a camisa de Léo Artur dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Danilo Barcelos deslocou Fernando Miguel para ampliar a vantagem.

Quando o Vitória parecia retomar a confiança para sair jogando, houve uma confusão generalizada. Primeiro, a confusão após uma falta marcada no meio do campo. No lance seguinte, o banco do time baiano começou a cobrar o árbitro de uma suposta agressão de Rodrigo ao atacante Tréllez. Questionando o assistente, Ricardo Marques Ribeiro confirmou o lance e expulsou o defensor da Ponte, que passou a jogar com um a menos.

Com a superioridade numérica, a dinâmica do jogo mudou completamente e o Vitória passou a tomar a iniciativa da partida. A alternativa da Ponte Preta foi se fechar na defesa e começar a apostar no contra-ataque para tentar aumentar a vantagem. Assim, conseguiu chegar com Nino Paraíba, aos 42 minutos. O lateral ganhou a jogada pelo lado direito do ataque e finalizou com muita força, obrigando boa intervenção de Fernando Miguel. Apesar da posse da bola, o time baiano pouco assustou e as chances criadas foram já nos minutos finais, obrigando Aranha a trabalhar.

O segundo tempo começou da mesma forma como acabou a primeira etapa. Com a bola, o Vitória trocava passes e acuava a Ponte Preta no campo de defesa. A primeira chance do time baiano foi aos seis minutos. Yago ganhou na velocidade e saiu na cara de Aranha, mas a bola saiu sem direção.

A pressão do Vitória, enfim, surtiu efeito. Em um minuto, o Leão conseguiu o empate. Aos 12 minutos, Danilinho desviou o escanteio cobrado no primeiro pau. A bola sobrou para André Lima, que apenas empurrou para a meta de Aranha. No lance seguinte, Tréllez arriscou de fora da área e a bola desviou em Luan Peres, tirando o goleiro da jogada e igualando o marcador.

O empate não parecia suficiente para o Vitória. A Ponte sucumbia à pressão e dava muitos espaços para o time baiano. Aos 21 minutos, Aranha saiu muito mal do gol e Danilinho ficou livre para finalizar, porém, a bola foi afastada pela defesa campineira perto da linha da meta.

Depois de perder duas chances incríveis, saiu o gol da virada do Vitória. Em grande contra-ataque, Danilinho carregou pelo lado direito do ataque e apenas rolou para Tréllez, que teve o trabalho de empurrar para o gol.

Antes do apito final começou uma confusão com torcedores da Ponte Preta, que invadiram o gramado aos 39 minutos. A polícia teve de atuar e os dois time foram aos vestiários. O jogo foi finalizado sem os times em campo por falta de segurança.

(Créditos: Gazeta Esportiva)