Ponte Preta e Vasco ficam no zero em jogo ruim em Campinas

Em jogo fraco tecnicamente, Ponte e Preta e Vasco não saíram de um empate em 0 a 0 na noite deste domingo, em Campinas. Em uma das piores partidas deste Brasileirão, o time da casa teve as melhores chances no primeiro tempo, quando Martín Silva foi acionado, mas produziu muito pouco nos 90 minutos. Já o goleiro Aranha praticamente assistiu a partida do gramado do Moisés Lucarelli.

A rodada foi ruim para o Vasco, que foi a 24 pontos, mas caiu três posições com as vitórias de Fluminense, Coritiba e Atlético-PR. Em 12º lugar, os cariocas ainda podem perder a posição no encerramento do primeiro turno para a própria Ponte, que recebe o Fluminense em jogo adiado da 17ª rodada na próxima quarta-feira. Já a Macaca ocupa a 15ª colocação, com 22 pontos.

O Vasco terá mais uma semana livre para treinar, já que só volta a campo no próximo domingo, quando recebe o Palmeiras no Raulino de Oliveira, pela 20ª rodada do Brasileirão.

O Jogo – Vasco e Ponte Preta fizeram um duelo de baixo nível técnico no Moisés Lucarelli. O primeiro tempo começou truncado e nenhuma das equipes conseguia ameaçar a meta adversária. O Vasco, apesar de organizado, tinha dificuldades na criação de jogadas.

Já a Ponte pecava pela lentidão na transição da defesa para o ataque, e tinha Renato Cajá em noite pouco inspirada. Somente a partir dos 30 minutos, a equipe da casa ensaiou uma pressão e exigiu trabalho do goleiro vascaíno.

Aos 32, cruzamento na área do Vasco achou Emerson Sheik livre, e o atacante, sem deixar a bola cair, matou na coxa e chutou no gol. Martín Silva espalmou para escanteio. Lucca cobrou pela esquerda, a bola chegou a desviar e sobrou para Marllon do outro lado. O zagueiro bateu cruzado e venceu o goleiro vascaíno, mas Henrique salvou em cima da linha e mandou pela linha de fundo.

Aos 38, Sheik trabalhou pela esquerda e, ainda da intermediária, fez cruzamento longo para a área. O zagueiro Rodrigo subiu mais que a zaga e testou no canto esquerdo, mas a bola não foi com velocidade, e Martín Silva defendeu sem dar rebote.

O técnico Milton Mendes teve de fazer uma alteração no time antes do reinício da partida. O jovem Andrey entrou no lugar de Bruno Paulista, que sentiu uma indisposição intestinal nos vestiários. Mal a bola rolou, e a Ponte já assustou. A bola chegou em Emerson Sheik na área, mas o atacante furou de cara para o gol.

O Vasco teve uma boa chance aos 11. Escanteio pela direita, bola levantada no segundo pau e Andrey subiu livre para o cabeceio. De frente para o gol, o volante mandou longe pela linha de fundo.

O jovem da base teve outra chance desperdiçada no minuto seguinte. Ele puxou o contra-ataque até chegar perto da área, mas em vez de servir alguém mais bem colocado, arriscou de longe e errou completamente o alvo.

O nível das finalizações do Cruz-Maltino explicam o pouco trabalho de Aranha na partida. Mas a Ponte também não conseguia criar, e o jogo caiu ainda mais na segunda etapa. Só aos 42, em cobrança de falta, a torcida teve uma emoção. Rodrigo cobrou falta com violência e obrigou Martín Silva a saltar para salvar o Vasco.

(Créditos: Gazeta Esportiva)