O que te faz levantar da cama todos os dias?

 

Só nao vale dizer que é o despertador. Quando a gente pensa em “propósito de vida” parece algo tão difícil, né? Eu sei. E, exatamente por isso vou abordar esse tema da forma mais simples possível.

Quando somos crianças, até os nossos 7 anos de idade, ainda estamos conectados com o mundo espiritual, e quase que desconectados do mundo “real”, aqui na terra. E, é por isso que quando estamos perdidos, confusos, tristes e sem um propósito de vida definido, é importante revisitar a nossa infância.

Quando ouvi isso pela primeira vez, achei um absurdo, e li ate o final so pra saber onde aquele texto iria chegar. E nao é que fez sentido mesmo? Hoje, quando vejo alguem triste e preocupado porque nao faz o que gosta, nao encontrou um trabalho que o empolgue, eu ja consigo entender de onde vem isso, e com as perguntas certas feitas, as coisas se resolvem, sem pressa. Mas vale lembrar que nem sempre o seu propósito esta relacionado ao trabalho. Isso nao é uma regra, mas na maioria das vezes, está sim. É claro que a gente vem com várias lições pra aprender ao longo da vida, karmas, enfim, mas todos nós temos uma missão maior, que esta sempre relacionado a algo que voce ama fazer de paixao, e consequentemente aquela mesma atividade ajuda outras pessoas. Agora, quando você não está fazendo o que a sua alma veio fazer e, quando o que voce faz não agrega algo às outras pessoas é normal que voce se sinta ansioso, triste, preocupado, em depressão, impaciente, e perdido. Mas, a parte boa disso tudo, é que é facil descobrir o seu propósito. Voce só vai precisar se fazer algumas perguntinhas básicas e pronto. Tenha com você um caderninho de anotação, uma caneta, e vamos lá!

 

Antes de qualquer coisa, vou te contar uma historia que li no livro “As 16 leis do sucesso”. de Napoleon Hill, comentado por Jacob Petry. E, se voce quiser se aprofundar em seu proposito de vida, compre esse livro ja. Vale muito a pena. Mas, se tiver preguiça, nao se preocupe, eu vou contando pra vocês as melhores partes. Podem confiar! rs

 

Andrew Carnegie, um menino irlandês que, aos 4 anos de idade, migrou com a famlia humilde para os Estados Unidos e se tornou um dos homens mais ricos e influentes de todos os tempos. ( Não que importe ser o cara mais rico do mundo, mas continue aqui comigo. A historia vale a pena, se voce tem interesse em descobrir o seu propósito).

 

Carnegie desenvolveu sua imensa fortuna começando a vida como operador de telégrafos. Aos poucos, migrou para o setor de ferrovias, criando, finalmente, uma poderosa indústria siderúrgica que chegou a produzir 25% de todo o aço consumido nos Estados Unidos.

 

Já quase no fim da vida, Carnegie reconheceu que sua maior riqueza consistia no conhecimento dos princípios por meio dos quais havia acumulado sua fortuna. Seu novo propósito, então, foi de encontrar alguém que organizasse esses princípios em uma filosofia que pudesse ser compreendida e usada por qualquer pessoa.
Em 1908, Napoleon Hill, um jovem reporter de 23 anos da Bob Taylor Magazine, foi encarregado de fazer uma matéria sobre Andrew Carnegie. A essa altura, o bilionario ja havia entrevistado mais de 250 profissionais que talvez tivessem a capacidade de elaborar sua filosofia do sucesso.

Ninguém, no entanto, parecia possuir as qualidades que ele buscava. Impressionado com Napoleon Hill, Andrew Carnegie convidou-o para passar três dias com ele em sua mansão, localizada em uma àrea nobre de Manhattan, e foi durante esse período que sondou o jovem escritor para ver se ele tinha potencial para desenvolver o projeto.

Nesse longo encontro, Carnegie começou fazendo um relato da historia de suas conquistas. Depois, sugeriu que o mundo precisava de uma filosofia prática sobre realização pessoal. Uma filosofia que permitisse a qualquer pessoa acumular as riquezas que desejasse e da forma que melhor lhe conviesse.

Durante esses 3 dias, Carnegie explicou minuciosamente sua filosofia, descrevendo ao reporter como ele imaginava organizar suas idéias. Quando terminou, Carnegie secretamente testou Hill, com o intuito de ver se ele era digno de confiança e capaz de desenvolver o projeto.

 

-Agora que voce já conhece minha idéia -disse ele-, gostaría de fazer uma pergunta que voce deverá responder simplesmente com um sim ou um não.
Hill, curioso, aguardou a pergunta.

 

-Se eu lhe desse a oportunidade de organizar a primeira filosofia sobre realização pessoal que o mundo há de conhecer, e se eu o apresentasse a homens que poderiam e gostariam de colaborar com voce na organização dessa filosofia, voce aceitaria essa oportunidade, levando-a até o fim? Hill pigarreou, gaguejou um pouco e, em seguida, respondeu enfaticamente: Sim. Não apenas aceitaria a oportunidade como também a executaria até o fim.

 

Anos depois, Napoleon Hill ficou sabendo que, no momento da pergunta, Andrew Carnegie segurava um cronômetro embaixo da mesa, tendo estabelecido o prazo de um minuto para obter a resposta. Se Hill tivesse demorado mais que isso, teria perdido a oportunidade. O repórter, porém, havia dado sua resposta em menos de 30 segundos.

 

-Aprendi, em anos de experiencia- disse Carnegie ao explicar as razões de ter estabelecido um limite de tempo para obter a rsposta-, que se uma pessoa é incapaz de tomar uma decisão prontamente, uma vez que lhe são dados todos os elementos necessários para tal, ela dificilmente será capaz de, na prática, levar até o fim qualquer decisão que tomar.
Naquele dia, assim que obteve a resposta de Hill, Carnegie insistiu em saber se ele estaria disposto a dedicar 20 anos da vida dele a essa pesquisa. Hill disse que sim.
-Mesmo sabendo que nao receberá por esse serviço uma remuneração financeira imediata? E que, paralelamente a essa pesquisa, terá de encontrar outros meios para ganhar a própria vida?
Hill ficou chocado. Ele pensara, como era de se esperar, que, com sua imensa fortuna, Carnegie iria patrocinar a pesquisa.
-Não se trata de eu nao estar disposto a pagar por essa pesquisa-explicou Carnegie ao ser questionado por Hill sobre os motivos pelos quais ele nao queria pagar pelo trabalho. -Desejo saber, porém, se há em voce a capacidade natural de se dispor a caminhar um quilômetro extra, prestando um serviço antes mesmo de ser pago por isso-disse. Depois continuou: -Se voce explorar corretamente a oportunidade que lhe ofereci, é muito provável que irá transformá-la em riquezas tão extraordinárias que serão ainda maiores que as que eu atingi.
Carnegie ressaltou que estava dando a Hill a oportunidade de explorar as mentes mais privilegiadas dos Estados Unidos. Explicou que ele teria acesso ao conhecimento e às experiências que haviam produzido os maiores líderes do país. E afirmou que essa oportunidade poderia capacitá-lo a projetar sua influência pessoal, de uma forma definitiva e benéfica, em todos os continentes, ajudando pessoas por inúmeras gerações.

Nos anos seguintes, Carnegie apresentou o jovem Napoleon Hill a pessoas como Thomas Edison, John D. Rockefeller, Henry Ford, George Eastman e outras celebridades da época. Como Carnegie havia previsto, a pesquisa levou cerca de duas décadas, período em que Hill entrevistou mais de quinhentos grandes líderes de seu tempo. E finalmente em 1928, publicou suas descobertas em oito volumes, em uma coleção chamada “A lei do sucesso”.
E, Jacob Patry leu toda a coleção e, trouxe para os dias atuais, em um livro só, todas as partes mais valiosas que Napoleon Hill publicou em suas obras. E, é exatamente esse livro que estou lendo agora, e que trás esse assunto tão importante que é o propósito de vida.

É simples. No fundo, bem no fundo, você sabe exatamente o que você tem que fazer.

SUA BRINCADEIRA DE CRIANÇA VIRANDO NEGÓCIO

1- O que é realmente importante para você?
2-Tenho uma visão clara do que busco na vida?
3-O que quero? Quando quero? Porque quero? Como vou conseguir o que quero?
4- Qual é o meu poder pessoal ? (minhas características boas como ser humano, e o que faço de bom)
5- Qual é o meu talento?

Lembrando que talento é a habilidade que temos de desenvolver certa atividade com uma facilidade maior que as outras pessoas.
O nosso propósito é o nosso talento natural.
6-Dentro da área do seu talento, descubra onde está sua paixão, o que o motiva naturalmente?
7- O que há de melhor em mim?
8-Em qual atividade está a minha paixão mais genuína?
9-Como transformar o meu proposito em renda ?
10- Qual o sentido da vida para você ?

Vale lembrar que a autoconfiança vem de um talento que você pratica muito.
A receita do sucesso, é descobrir essa atividade que você tem paixão em fazer, esse talento natural que voce tem, transforma-lo em seu ponto forte, aprimorando-o com conhecimento , técnica e prática, definir um propósito com base nesse talento, e depois desenvolvê-lo, praticar bastante, e por último, elaborar um plano de execução de seu propósito. Metas diárias. Aja todos os dias na execução do seu plano. Trabalhe para conseguir. Seja criativo.
E não se esqueça:
Se voce consegue vizualizar algo em sua mente, tambem pode vizualizá- lo em sua vida.

Não esqueça de usar o exemplo de Andrew Carnegie.
E se voce tivesse todas as ferramentas necessarias para atingir o seu objetivo? Voce responderia sim? Nao? Voce responderia rapidamente? Voce demoraria na resposta? Isso me fez enxergar que muitas coisas, eu só sonhava porque pareciam impossíveis, mas quando me imaginei tendo, percebi que não era aquilo que eu realmente queria. O ser humano tem uma ilusão de querer o que está distante, o que não é real, o que não tem, certo? E, quando consegue, perde a graça, ou não sente felicidade com aquilo, porque aquele desejo era do ego e não do coração. Se imagine com o seu sonho realizado. Como você se sente ? E como voce se sentiria se descobrisse que demoraria para você conseguir atingir o seu objetivo, mas que voce conseguiria? Heim? Voce iria querer mesmo assim? Pense Nisso. Nao adianta se sentir empolgado apenas com o seu sonho jâ realizado. Voce precisa gostar de montar o plano, e executá-lo, senão é melhor tentar outra coisa. Sempre tem uma atividade que você se sente muito entusiasmado fazendo. Sempre. Pense um pouco. Reflita. Fique em silêncio. Se pergunte. Fale com você mesmo, e não tenha pressa.

Desenvolver estusiasmo é definir o propósito certo para a sua vida. Você somente poderá sentir entusiasmo se tiver paixão pelo que faz.
E, se tiver muito dificil tudo isso pra voce, vamos voltar lá pro inicio de nossa conversa. O que você gostava de brincar quando era criança? Tente se lembrar. A sua criança tem muito a lhe dizer. As brincadeiras de infância quase sempre viram negócios, e sempre estão relacionadas ao nosso propósito de vida.

Bruna Pinheiro

 

Vale viver uma vida inteira tentando ser quem você não é ? Ou porque você está seguindo regras sociais, expectativas familiares, ou até por suas próprias crenças limitantes que te restringem?

É importante reconhecer primeiramente quem você é, o que te faz feliz, e quais são seus valores de dentro para fora. Para futuramente não se sentir apático e infeliz por estar deixando o externo direcionar sua vida. Sabendo quem você é, fica mais fácil identificar o que você gosta, e onde estão aquelas limitações que te levam para trás, que atrasam sua vida, e que, muitas vezes, você se força fazer pensando nas regras sociais, expectativas familiares ou crenças limitantes, e que assumindo para si que não fazem parte de sua aptidão, poderia tomar decisões mais eficientes de como investir em seu próprio tempo de vida.

Uma vez me questionei sobre um dos homens mais importantes que conheci na indústria dos negócios. Na época, Antonio Lúcio era presidente global dos cartões de crédito Visa, e além de um dos profissionais mais respeitosos e inteligentes que conheci, também um dos mais pontuais. Nunca entendi profissionais de alto escalão que se prezam a sempre atrasar para tudo o que fazem, como se o atraso ou fazer esperar fossem sinônimos de poder. E quando questionei Antonio Lúcio de sua postura admirável, ele me ensinou algo que vale ser repetido. Uma das maiores formas de demonstrar respeito com o outro, é sendo pontual. E então explicou. Você atrasar faz com que você roube o tempo de vida da outra pessoa. E não somos Deuses para termos o direito de matarmos os outros com nossa própria falta de organização. Deste dia em diante, valorizo o tempo, a pontualidade, a palavra e compromisso com as outras pessoas de um jeito completamente diferente.

E você reconhecer suas dificuldades ao invés de ficar batendo a cabeça e sofrendo com elas, também é respeitar sua própria vida, e ter uma relação mais leve com quem você é. Muito melhor aprender que tem coisas na vida que você não tem tanta facilidade, do que passar o resto da vida dando “murros em pontas de facas”. Tem coisas que eu mesma levo dias ou semanas procrastinando, porque acredito piamente que num momento oportuno irei me dedicar a resolver com minhas próprias mãos, e meses depois quando peço a ajuda de um amigo ou profissional para resolver, me dou conta de que já poderia ter resolvido aquilo com muito mais facilidade meses atrás. E pior, não teria sofrido tantas vezes em me imaginar não fazendo aquilo por mais um dia. Tem uma bendita caixinha de correio aqui em casa, que a portinhola quebrou e todo mundo que passa na rua consegue dar uma espiadinha, o que tira a privacidade de minha família. Nos primeiros dias, colocava uma folha para tapar o buraco, que todas as vezes que chovia, precisava ser trocada. Meses depois, continuei sem chamar alguém para resolver, como se em algum momento eu fosse adquirir conhecimento de serralheria para resolver o caso. Em uma manhã, acordei, telefonei para uma serralheria que fica na rua de trás, em 40 minutos e com 20 reais gastos, o assunto estava resolvido. Em que momento eu imaginei que pudesse arrumar a portinhola com minhas próprias mãos, que procrastinei por meses o que já poderia estar resolvido? E este é apenas um exemplo de como muitas vezes lidamos com nossa vida. O desgaste de tantas vezes cortar um pedaço de papel e colar lá, ou de tantas vezes me culpar por não ter resolvido o assunto, se juntando com tantos outros, acabam sendo um verdadeiro atraso de vida.

Se conecte com seu coração, seja verdadeiro com você, e seja mais realista e prático em resolver coisas, com as quais você não tem aptidão nenhuma. E concentre o seu sagrado tempo, que é sua vida, em fazer coisas que pode realmente contribuir para a humanidade. Isso te fará uma pessoa infinitamente mais feliz e mais capaz. E isso vale para absolutamente tudo na vida. Desde a divisão de tarefas em casa, na escolha de seu trabalho, até em como lidar com pequenas coisas cotidianas.

No início do ano fui fazer uma viagem com minha família. E um dos lugares que paramos para conhecer foi a cidade de Amsterdam. Um lugar pitoresco, cheio de turistas e muita história. Foi lá que cresceu a tão famosa garotinha Anne Frank, cidade que é um importante pólo comercial marítimo na Europa. Mas o exemplo que gostaria de trazer para vocês na verdade, foi algo que me chamou muita atenção. Um pequeno local de esquina que tem a tão famosa “melhor torta de maçã de toda a Holanda”. O marketing do pequeno local é tão poderoso, que vi a mesma indicação em todos os blogs que pesquisei sobre a viagem, e ainda nas mensagens gravadas dos ônibus e barcos turísticos que pegamos.

Como qualquer boa empresária, me perguntei tantas e milhares de vezes, o que havia feito aquele jovem rapaz que tinha como propósito de toda a sua vida, fazer tortas de maçãs, ter conseguido uma divulgação tão poderosa. E a resposta veio de encontro há algo que eu já tinha aprendido há algum tempo atrás. Faça o que você faz de melhor, o que te faz feliz, e isso será bem sucedido. A importância de se estar em fluxo ao que faz seu coração feliz. Não são poucos os casos que conheço de pessoas que abandonaram multi nacionais e algumas dezenas de anos de carreiras promissoras, para “serem felizes”. E a afirmação de felicidade, para cada uma delas tinha sua leitura diferente: tiveram pessoas que abriram seus cafés de rua, outras que foram cuidar dos filhos, e posso me incluir também como exemplo, que deixei uma carreira de 15 anos em multi nacionais para seguir meu sonho, abrir uma empresa chamada Sua Música Personalizada com alguns sócios, com o intuito de criação de músicas personalizadas para quem se ama, e ser empresária no ramo musical. E sou extremamente feliz, e acredito que hoje eu use muito melhor meus recursos pessoais e minhas qualidades de forma mais eficiente. Mas voltando para o rapaz da torta de maçã, ao entrar no estabelecimento dele, entendi completamente e na prática o que é ter seu propósito alinhado às suas aptidões. O jovem rapaz atendia seu público, que fazia fila na calçada, de forma radiante. Fazia questão de que cada um encontrasse um cantinho de seu estabelecimento de tortas de maçãs para apreciar o momento confortavelmente, atendia as mesas pessoalmente e perguntava a cada consumidor o que tinham achado de sua torta. E acreditem, a torta caseira dele faz tanto ou mais sucesso por lá, do que o próprio Mc Donalds.

Não importa se o que te faz feliz parece ser algo impossível de ganhar dinheiro, ou algo que pareça não merecer reconhecimento algum. Se te faz feliz, e se você acredita que possa fazer aquilo o resto de sua vida, então, o resultado financeiro fluirá com naturalidade. Tenho certeza que este rapaz das tortas não correu atrás de divulgação, reconhecimento ou reputação. Sequer deve saber que tantos blogs o citaram, tantas estações turísticas mencionam seu estabelecimento ou o tamanho da força do boca a boca de seu produto. Menos ainda tem idéia de que quase metade de meu texto aqui para vocês mencione ele como exemplo de felicidade e propósito, e não é sobre o sabor, realmente memorável, de suas tortas de maçã que estou falando aqui. Não tenha medo de ousar. De se entregar. Porque quando damos o primeiro passo o universo entende a força da fé e responde ao seu chamado. O fluxo acontece quando damos o primeiro passo em tudo na vida. Quando nos entregamos, e fazemos as coisas com a verdade, com o coração. Então pense, e reflita, no que te faz levantar da cama todos os dias com alegria e entusiasmo. E seja muitíssimo bem sucedido, fazendo aquilo que te faz feliz.

Camila Chagas