Santos segura empate na Ilha e chega a 12 jogos sem perder

O Santos mantém a sua recuperação impressionante no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, diante do forte Sport, na Ilha do Retiro, a equipe praiana conseguiu segurar um empate por 1 a 1. Ricardo Oliveira foi quem marcou o gol dos alvinegros, mais uma vez abrindo o placar, enquanto o ex-menino da Vila, André, empatou para os donos da casa.

A ressalva fica por conta do impedimento claro não marcado pela arbitragem no tento santista. No momento em que Gustavo Henrique cabeceia, Ricardo Oliveira está muito à frente da defesa pernambucana. No segundo tempo, o juiz aliviou para Matheus Ferraz, que deu entrada violenta em Marquinhos Gabriel e foi poupado da expulsão, levando o único amarelo da partida.

Com a igualdade, o Peixe chega ao 12º jogo seguido sem derrota, contando todas as competições. No Brasileiro, desde que perdeu para o Palmeiras, na 14ª rodada, são seis vitórias e três empates, 34 pontos, quatro atrás do São Paulo, primeiro time do G4. O Leão, por sua vez, soma o nono jogo sem vencer, mas está apenas um ponto atrás dos paulistas.

Na próxima rodada, os comandados de Dorival Júnior terão pela frente o próprio São Paulo, quarta, às 22h, na Vila, tentando provar sua força em clássicos após duas vitórias convincentes sobre o Corinthians, pela Copa do Brasil. Os rubro-negros, por sua vez, visitam o Goiás no Serra Dourada, na quinta, às 19h30.

O jogo – O primeiro tempo de partida começou morno, apesar do bom gramado da Ilha do Retiro e da presença razoável da torcida da casa. Ciente da força dos pernambucanos, o Peixe se limitou a segurar as investidas do rival pela direita no início, marcando bem Ferrugem e Maikon Leite. Bastou Ricardo Oliveira entrar no jogo, porém, para que os alvinegros mudassem o panorama.

Aos 20 minutos de bola rolando, o centroavante tentou de fora da área e descolou um escanteio. Marquinhos Gabriel cobrou rápido para Rafael Longuine, que levantou a bola na área. Gustavo Henrique ganhou de cabeça e exigiu bela defesa de Danilo Fernandes. No rebote, Ricardo Oliveira, em completo impedimento, ignorado pela arbitragem, estufou a rede. Festa do camisa 9, que nada tem a ver com isso.

Quando parecia que o Santos ia administrar a vantagem, no entanto, o Leão mostrou força em seus domínios. Apenas sete minutos depois de ser vazado, o anfitrião foi para cima e buscou o empate. Marlone recebeu a bola pela direita e deu bom passe para André. David Braz não conseguiu cortar e o centroavante, mesmo abafado por Vanderlei, conseguiu bater no único espaço entre o goleiro e a trave esquerda, igualando tudo.

O Sport continuou buscando mais o gol, mas o erro do Santos se limitou à falha de Braz. Bem postado, o Peixe, acostumado a deixar mais espaços atrás e sair em velocidade, soube conter o ímpeto do adversário, mesmo que isso tenha custado algumas tentativas de contra-ataque.

Na volta para a etapa final, tudo poderia ter mudado com menos de dois minutos. Marquinhos Gabriel entrou costurando a defesa pela esquerda e sofreu entrada violenta de Matheus Ferraz, que deu um carrinho saltando, pegando o tornozelo esquerdo do santista. O árbitro mineiro Emerson de Almeida Ferreira, porém, achou que um amarelo resolveria o lance.

Pouco depois, aos nove minutos, o Peixe quase aproveitou mais uma de suas estocadas e quase fez o segundo. Após o juiz marcar falta duvidosa de Renê, os visitantes fizeram jogada ensaiada. De Marquinhos Gabriel para Ricardo Oliveira, na entrada da área, do centroavante para o lado direito, onde Victor Ferraz cruzou na segunda trave. Longuine, livre, testou firme, mas mandou em cima de Ferrugem, que estava embaixo do gol.

A posse de bola e a pressão, no entanto, continuaram no lado do Sport. Mesmo sem conseguir penetrar a defesa santista, os pernambucanos tiveram o controle das ações. Nas únicas vezes em que mostraram mais paciência para tentar um toque elaborado, as chances apareceram. Foi assim que Régis, após longa troca de passes, deixou André livre. O centroavante, no entanto, pegou mal na bola e perdeu o gol, mandando por cima da meta.

A partir do momento em que o Leão se lançou à frente sem medo de sofrer gols, o Santos conseguiu mais espaço para criar. Novamente com Ricardo Oliveira, aos 36, o tento da vitória quase saiu, mas Danilo Fernandes saiu bem e fez a defesa. Na sobra, Gabriel mandou por cima. Um minuto depois, Gabriel recebeu na área e chutou fraco, desperdiçando a última chance clara do jogo.

(Crédito: Gazeta Esportiva)

'