Com placar magro, Corinthians vence o Botafogo-SP e vai à semi

O Corinthians não encheu os olhos do seu torcedor, mas passou sem grandes sustos por mais um duelo eliminatório. Diante do desafio de propor o jogo frente a um adversário defensivo, o Timão conseguiu furar o bloqueio do Botafogo-SP com um gol de cabeça do meia Rodriguinho, ainda no primeiro tempo, e manteve a vantagem até o apito final para assegurar uma vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

Como venceu e chegou aos 28 pontos na tabela de classificação geral, o clube do Parque São Jorge já sabe que não enfrentará o Palmeiras na próxima fase do Estadual. Inicialmente segundo colocado, a equipe pode perder a posição caso a Ponte Preta goleie o Santos nesta segunda-feira, às 21h (de Brasília), no Pacaembu. Vitória da Macaca, por sinal, coloca os campineiros no caminho corintiano, enquanto empate ou triunfo santista programa um Majestoso para a semi.

A próxima partida dos comandados de Fábio Carille, porém, será pela Copa do Brasil, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), abrindo o confronto da quarta fase do torneio contra o Internacional, no Beira-Rio. O Botinha, por sua vez, passa a se preparar para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C. A estreia está marcada para o dia 13 de maio, contra o Bragantino, na casa do adversário.

Corinthians cria e perde chances, mas abre vantagem

O Corinthians entrou em campo determinado a mostrar uma força criativa maior do que a demonstrada até o momento na temporada, acreditando justamente na força máxima de seu elenco para atingir esse feito. O otimismo quase teve um efeito recorde aos 30 segundos de bola rolando, quando a zaga afastou para trás um cruzamento de Fagner e Jô ficou livre para bater, mas Neneca conseguiu abafar a jogada.

Pouco depois, a movimentação ofensiva corintiana voltou a dar resultado. Em lance que começou com Gabriel e chegou ao meia Jadson, aberto pelo lado direito, o camisa 77 deu belo lançamento para Rodriguinho. O armador viu Gualberto falhar na hora de dividir a jogada e saiu cara a cara com o goleiro adversário. Rodriguinho, porém, tentou dar um chapéu em Neneca, pegou de canela na bola e desperdiçou ótima chance de abrir o placar.

Já ambientado à casa corintiana e passado os sustos, o Botinha resolveu jogar com mais calma e ao menos tentar ficar com a bola em seus pés. Apostando sempre nas investidas de Francis pelo lado direito, o time de Ribeirão Preto chegou a criar uma oportunidade de gol aos 23 minutos. O atacante tabelou com o lateral direito Samuel Santos, que levantou a bola na área. Atrás da marca do pênalti, Marcão cabeceou e mandou no ângulo, exigindo grande defesa de Cássio.

O lance animou o time do interior, que subiu sua marcação e parecia dar trabalho ao Timão, mas foi aí que o Alvinegro viu a brecha para abrir o placar, aos 38 minutos. Apertado na defesa, Guilherme Arana tabelou com Romero, que devolveu de letra. Ele ganhou da marcação passou ao ataque e tocou para Maycon, que inverteu a jogada para Jadson. Próximo à lateral direita, o armador cruzou e achou justamente Rodriguinho, até então muito mal no jogo, que cabeceou no canto de Neneca e enlouqueceu a Fiel em Itaquera.

Timão não resolve, mas passa de fase

O segundo tempo parecia reservar um duelo mais aberto, com o Botinha precisando de ao menos um gol para levar a decisão para os pênaltis. O time do interior, porém, não se lançou ao ataque, preferindo apenas adiantar um pouco a sua marcação para dificultar a posse de bola corintiana. Do outro lado, o Timão manteve a estratégia de rodar a bola até Jadson, sempre responsável pelo passe ou cruzamento final.

A primeira chance de gol, logicamente, surgiu dos pés do camisa 77, mas em bola parada. Pela direita, o armador cruzou na segunda trave para Jô, que subiu mais alto do que a defesa e cabeceou. A finalização, porém, saiu fraca, nas mãos do goleiro Neneca. Na resposta, sempre aproveitando a boa presença ofensiva do centroavante Marcão, os visitantes quase empataram em cabeçada do atacante que passou rente à trave.

Preocupado com a vantagem mínima, Fábio Carille resolveu renovar a sua força ofensiva com os atacantes Clayton e Marquinhos Gabriel, mas optou por não sacar Jadson da partida. Os escolhidos foram o paraguaio Romero, dono de boa atuação, e Rodriguinho, que claramente já não aguentava mais o ritmo da partida. Os botafoguenses também apostaram nisso, com Wesley, Kauê e Bernardo.

Sem muita criatividade, o Fogo tentou em alguns contra-ataques, mas não conseguiu chegar em condição de finalizar. Restou ao Corinthians aproveitar os espaços, principalmente pelo lado esquerdo do ataque. Nas melhores chances, no entanto, Clayton e Pedrinho se precipitaram na hora de tentar acionar o centroavante Jô, sempre esticando um pouco mais do que o necessário. Ao final, a vantagem mínima fez o que era necessário.

(Créditos: Gazeta Esportiva)

'