Escreva e salve vidas

Escrever é um legado extraordinário. Através das palavras é possível transformar vidas e tornar-se inesquecível para a humanidade, afinal, vocábulos escritos possuem a incrível capacidade de se eternizarem, vencem o tempo perpassando gerações. Portanto, embora nem todos se deem conta disso, escrever é uma ferramenta valiosa. Através dela é possível ser a mudança que o mundo precisa e o maior exemplo disso é o livro mais lido de todos, a Bíblia Sagrada. Essa é a prova viva de que escrever pode ser um instrumento a favor do bem comum. Por isso hoje, escritor, eu te pergunto: o que você deseja para o mundo?
Os dias passam rápido como uma bola de boliche lançada na pista, não se encontra tempo para jantar com os filhos, dar aquele abraço sincero nos pais ou o beijo caloroso no cônjuge depois de um cansativo dia de trabalho. Nessa era tecnológica a máquina parece pulsar nosso coração, mas dentro de um livro é possível deixar o sopro de paz e a reflexão necessária para transformarmos vidas. Não importa se mudaremos uma ou mil pessoas, mas que mudaremos.
Crie histórias e personagens que despertem o seu leitor para aquilo que almejamos, dias melhores. Evolua seu espectador junto com o seu protagonista fazendo-o compreender o valor do perdão, a paz que traz o amor, a serenidade da gratidão, o reconhecimento interno que se desperta com a gentileza e a educação, o poder transformador da bondade e da mansidão, o doce sabor da empatia e a possibilidade eterna do renovo da fé e da esperança.
A escrita é soberana perante todas as outras artes, haja vista o que o diretor da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), Mauro Munhoz, pontuou durante uma entrevista à rádio CBN no último dia 25: “A literatura é a arte da palavra e, o mais interessante, é que ela permeia todas as outras artes. Por exemplo, se você vai fazer um filme, você começa escrevendo um roteiro e, no teatro, a mesma coisa”. Essa constatação nos desperta ainda mais para a força, o prestígio e a importância que há na arte de escrever.
Entenda hoje o poder mágico que está em suas mãos e perceba não só a mudança que você pode levar ao outro através das suas palavras, mas também o contentamento que florescerá dentro do seu próprio coração ao decidir agir pelo bem. Faça como um dia afirmou Clarice Lispector: “eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém, provavelmente a minha própria vida”. Então, que se cumpra em nós a maravilhosa constatação presente no primeiro versículo bíblico dos Salmos 45, que diz “a minha língua é a pena de um destro escritor”.

Sobre Larissa Molina 4 Artigos
Larissa Molina é jornalista, escritora, revisora e ghost writer. Por acreditar no autor nacional, criou um Canal no YouTube, o qual leva o seu próprio nome, para conversar com esse público e também com seus leitores. Ela escreve histórias desde seus 12 anos e, em dezembro, realizará o sonho de ver um de seus romances impresso e nas livrarias.