Croácia aproveita vacilos e vence Nigéria

A primeira rodada do grupo D da Copa do Mundo prometia um confronto direto entre Croácia e Nigéria, aparentemente duas candidatas à segunda vaga em uma chave que conta com a Argentina, atual vice-campeã e equipe liderada por Lionel Messi. Na prática, o destino reservou um sábado muito mais saboroso e animador para o pequeno país europeu.

Primeiro, os favoritos sul-americanos tropeçaram diante da esforçada e estreante Islândia. Pouco depois, um gol contra e um pênaltis infantil, ambos oriundos de cobranças de escanteio, garantiram aos croatas a vitória por 2 a 0 em cima dos africados.

O resumo da rodada de abertura no grupo D é uma Croácia com a classificação bem encaminhada, isolada na ponta, com três pontos. Argentina e Islândia, nessa ordem, vêm atrás, cada uma com um ponto cada, enquanto os nigerianos seguram a lanterna zerados.

Derrotada pelo Brasil em amistoso às vésperas do Mundial na Rússia, a Croácia adotou uma postura diferente do que se viu na Inglaterra, contra a seleção de Tite. Talvez mexidos pela massa de torcedores que se deslocou à Arena Baltika, em Kaliningrado, os croatas tomaram a iniciativa e ditaram o ritmo desde o apito inicial.

Com as estrelas Modric e Rakitic, rivais na Espanha, onde defendem Real Madrid e Barcelona, respectivamente, coordenando as jogadas, Mandzukic era abastecido com frequência, e correspondia dando muito trabalho aos defensores da Nigéria.

A insistência ofensiva, mesmo que sem tanta técnica ou habilidade, foi recompensada com um gol aos 31 minutos. Modric cobrou escanteio, Mandzukic deu de peixinho, e a bola, que sairia pela linha de fundo, acabou desviando no coitado Etebo antes de mudar de rumo e ir para as redes.

A única resposta nigeriana antes do intervalo se deu quase nos acréscimos, e levou perigo. Iwobi arrematou sobra de bola na entrada da área e só não correu para o abraço porque Lovren meteu o pé no meio do caminho e bloqueou a bola.

O susto não passou de um susto. Se o jogo não agradava aos saudosistas do futebol ou os mais exigentes, também era inegável o controle da Croácia na partida. E na segunda etapa, se mesmo assim continuava difícil marcar gol, a Nigéria tratou de dar uma forcinha aos adversários mais uma vez.

Em outra cobrança de escanteio, dessa vez pela esquerda, Ekong resolveu agarrar Mandzukic dentro da área, em lance já fora da bola, mas que não passou despercebido pelo árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci, que sequer solicitou auxílio do VAR (árbitro de vídeo) para apontar a marca da cal.

Diferente de Messi, Modric não titubeou, deslocou o goleiro com um leve tapa na bola, com a chapa do seu pé direito, e acabou com qualquer ímpeto da Nigéria em buscar uma reação. Aliás, foi notório como os africanos sentiram o baque e desistiram do jogo antes mesmo do apito final.

Agora, em situações bastante distintas, Croácia e Nigéria se preparam para a segunda rodada do grupo E. Os europeus enfrentam a Argentina na quinta-feira, às 15h, enquanto os nigerianos encaram a Islândia, no dia seguinte, às 12h (sempre em horário de Brasília).

(Créditos: Gazeta Esportiva)