Corinthians bate o Vitória e avança na Copa do Brasil

O Corinthians fez uma boa partida na noite desta quinta-feira e, impulsionado pelos paraguaios Balbuena e Romero, superou o Vitória por 3 a 1 na sua Arena e passou para as quartas de final da Copa do Brasil. Os gols do triunfo corintiano, encerrando uma série de quatro partidas sem vitória, foram marcados pelo volante Maycon, na etapa inicial, e pelo atacante Romero, duas vezes, no segundo tempo. André Lima descontou para os baianos.

Com o resultado, o Timão agora espera a definição dos classificados e o posterior sorteio para saber seu adversário, o qual só enfrentará depois da disputa da Copa do Mundo. Mais do que isso, porém, os corintianos ganham fôlego para o aguardado Derby do domingo e a partida decisiva contra o Deportivo Lara-VEN, pela Copa Libertadores da América, na quinta-feira da semana que vem, dia 17.

Na próxima partida que têm pela frente, os comandados de Carille “viram a chave” para o Campeonato Brasileiro, competição pela qual enfrentam o Palmeiras, no domingo, mais uma vez em Itaquera, às 16h (de Brasília). Do outro lado, Vagner Mancini e sua trupe seguem longe de Salvador, dessa vez para encarar a equipe do Vasco, no mesmo horário, mas no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro.

Corinthians tanto bate…

O primeiro tempo mostrou exatamente o que Fábio Carille havia pensado para a partida frente aos rubro-negros: os visitantes se postaram com todo o time atrás da linha da bola, marcaram firme e tentaram roubadas na intermediária para puxar contra-ataques com o rápido quarteto Rhayner, Neilton, Yago e Denilson. Nessa ideia, porém, sobraram divididas e faltaram passes precisos para os dois lados.

Melhor na partida, o Alvinegro rodou bastante a bola e teve uma chance logo antes de um minuto de bola rolando, quando Pedrinho achou Rodriguinho no meio da área e o meia bateu forte, cruzado, mas parou em boa defesa de Caíque. Após um hiato de 20 minutos, outro lance perigoso para os corintianos: Jadson acionou Rodriguinho na entrada da área e ele ajeitou para Maycon, que bateu forte para nova boa defesa de Caíque.

Aplicado na ideia desenhada por Mancini, o Vitória claramente incomodava os corintianos, que não conseguiam fazer seu jogo fluir. Pedrinho, sempre cercado por dois, não conseguiu se desvencilhar da marcação e demonstrou certa frustração. Até que, aos 39 minutos, Gabriel protagonizou rara subida ao ataque, ganhou bem de Neilton após lateral e cruzou rasteiro. Caíque rebateu mal e Maycon, da marca do pênalti, abriu o placar para os donos da casa.

O tento foi a senha para que os baianos se soltassem e tentasse um empate para frustrar a empolgação corintiana. Em cinco minutos, o Vitória cruzou quatro bolas na área e viu Uilian Correia ser bem travado por Henrique na melhor tentativa, mas não foi capaz de deixar tudo igual na descida para o intervalo.

Vitória dá mais espaço e é punido

A etapa final se desenhou também como já era previsto em Itaquera, com Mancini acionando o centroavante André Lima para substituir o volante Willian Farias. A iniciativa, no entanto, serviu apenas para dar mais espaço ao time da casa do que para dar mais poderio aos baianos. Com liberdade para os seus nomes de criação, o Timão não demorou a achar os gols necessários para definir sua classificação.

Balbuena escapou rapidamente pela direita após tentativa de pressão ofensiva do Vitória e apareceu como ponta direita. Ele tabelou com Pedrinho e acionou Jadson pela meia esquerda. O armador demorou um pouco e, quando tocou, Romero estava impedido. O bandeira, no entanto, deixou o lance seguir e deu a chance para o paraguaio bater mal com a direita. Caíque deu rebote e ele, de canhota, mandou para a rede.

O ritmo corintiano seguiu forte e o terceiro gol não demorou a sair. Após nova triangulação do ataque, Romero recebeu na entrada da área, girou e bateu cruzado. Caíque espalmou e a bola ficou com Sidcley. O lateral cruzou, Rodriguinho raspou na primeira trave e o próprio Romero apareceu na segunda para tocar de cabeça. A finalização saiu sem força, mas no canto o bastante para evitar a chegada de Caíque.

A vantagem fez com que Carille se sentisse confortável até para poupar alguns visando ao Derby, sacando Jadson e Pedrinho para colocar Emerson Sheik e Mateus Vital. O plano foi abortado por alguns instantes quando André Lima aproveitou uma desatenção da zaga após escanteio batido rapidamente por Yago e desviou para diminuir. Nada, porém, que assustasse os mandantes, vencedores novamente.

(Créditos: Gazeta Esportiva)