Ataque terrorista deixa sete mortos e 48 feridos em Londres

Um ataque terrorista deixou 10 mortos, entre eles 7 vítimas e 3 suspeitos, e 48 feridos na noite deste sábado (03) em Londres. Uma van atropelou pedestres na London Bridge, cartão-postal da cidade, e pessoas foram esfaqueadas no Borough Market, mercado próximo à ponte.

Segundo a Polícia Metropolitana de Londres, três terroristas foram alvejados e mortos após os atentados. “Oito oficiais com armas de fogo da polícia descarregaram suas armas. Nossa avaliação inicial é de cerca de 50 balas foram disparadas por esses oito oficiais.”, disse chefe da unidade antiterrorista da polícia britânica, Mark Rowley. A Scotland Yard ainda não revelou a identidade dos três agressores.

O Serviço de Ambulâncias de Londres transferiu pelo menos 48 pacientes a cinco hospitais da cidade e atendeu outras pessoas no local, segundo a agência Reuters.

Nenhum grupo terrorista assumiu a autoria do atentado, e a polícia afirmou, no domingo (4), que segue trabalhando para identificar os autores do ataque. Pelo menos 12 pessoas já foram presas, sob suspeita de envolvimento no atentado.

Ainda de acordo com autoridades londrinas, a identificação das vítimas pode levar algum tempo, e possivelmente alguns dos mortos no ataque são estrangeiros.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, confirmou que entre os mortos há um canadense.

“O Canadá condena firmemente o ataque sem sentido ocorrido na noite de ontem em Londres, no Reino Unido, que matou e feriu muitos inocentes. Estou com o coração partido em anunciar que um canadense está entre os mortos”, afirmou, em comunicado.

Entre os mortos há um francês, informou o ministro de Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian. Sete franceses foram hospitalizados, quatro deles com ferimentos graves e um permanecia desaparecido, de acordo com a Reuters.

Atropelamento na London Bridge

Os autores do atentado começaram a ação com um atropelamento em massa na London Bridge, um dos principais cartões-postais da capital britânica, e seguiram atacando pedestres com facas no Borough Market, mercado próximo à ponte.

Segundo comunicado oficial da Scotland Yard, a polícia metropolitana de Londres, a primeira ocorrência envolvendo os terroristas foi registrada por volta das 21h (horário local, 18h em Brasília), na London Bridge.

No local, os autores do ataque atropelaram com uma van os pedestres que passavam pela ponte londrina, e seguiram em direção ao Borought Market. Relatos de testemunhas apontam que o veículo usado pelos terroristas deixou a área reservada aos veículos na ponte e avançou contra os pedestres na calçada a mais de 80 Km/h.

Segundo a repórter da BBC Holly Jones, que estava na ponte, a van era conduzida por um homem e atingiu cerca de cinco pessoas após subir na calçada.

A BBC também divulgou uma foto de um homem deitado no chão com o que parecem ser cilindros amarrados em um cinto. O homem que fez a foto, Gabriel Sciotto, disse em entrevista à BBC que eles não pareciam reais.

Ainda na rua, jovens lamentam incidentes em Londres (Foto: REUTERS/Hannah McKay)

Esfaqueamento no Borough Market

Uma testemunha disse à CNN que dois homens entraram em um restaurante perto da London Bridge e esfaquearam duas pessoas. Segundo a testemunha, uma garçonete foi esfaqueada no pescoço e um homem nas costas.

Uma testemunha disse à BBC que acreditou inicialmente que os ocupantes da van desceram do veículo para ajudar as pessoas atropeladas. Entretanto, os homens sacaram facas e passaram a atacar pessoas que estavam em bares e restaurantes nas proximidades do mercado. A mesma testemunha afirmou que um dos terroristas gritou “isto é por Alá” enquanto atacava.

Pessoas saem da área próxima a London Bridge com as mãos na cabeça (Foto: REUTERS/Neil Hall )

Estação fechada

Segundo o serviço de transporte de Londres, a estação de trem London Bridge foi fechada. “A polícia está lidando com um grande incidente e todas as avenidas estão sendo desviadas”, diz o serviço.

A polícia divulgou recomendações para as pessoas se protegerem. As instruções são correr a um local seguro, se esconder e ligar para os serviços de emergência caso seja possível.

Um esfaqueamento em Vauxhall, no sul da cidade, foi relatado pela imprensa, mas depois a polícia disse que ele não estava relacionado aos atos terroristas.