Apresentado no PSG, Neymar diz que não é movido a dinheiro

Após dias de “novela”, o atacante Neymar foi apresentado nesta sexta-feira pelo Paris Saint-Germain. Em concorrida coletiva de imprensa, o brasileiro se colocou à disposição para jogar já neste sábado, contra o Amiens, pela estreia do Campeonato Francês, mesmo sem ainda ter treinado com seus novos colegas.

“Gosto de estar sempre em campo. Jogador futebol é o que eu mais amo fazer na minha vida, e estou à disposição. Se puder, quero jogar sim”, afirmou o novo camisa 10 dos franceses.

O atleta também se divertiu ao dizer que ainda não conversou com seu novo técnico, o espanhol Unai Emery, e ainda não sabe em qual faixa do gramado irá atuar.

“Gosto de jogar, em qualquer posição que esteja. Estando entre os 11, até de goleiro eu jogo”, brincou.

Na entrevista, Neymar também se irritou quando foi perguntado sobre as questões financeiras de sua transferência, que custou 222 milhões de euros (R$ 821 milhões).

O atleta da seleção brasileira garantiu que não optou por trocar o Barcelona pelo PSG por dinheiro. Na nova equipe, ele ganhará um salário anual de 30 milhões de euros (quase R$ 111 milhões) por ano, o dobro do que recebia na Catalunha.

“Não sabem nada da minha vida. Nunca foi movido a dinheiro. A primeira coisa que penso é na minha felicidade, e estou muito feliz”, bradou.

“Sempre sigo meu coração, independentemente do dinheiro. Se fosse por isso (dinheiro), estaria em outros lugares. O que tenho para dizer é só lamentar que as pessoas pensem dessa forma. Só agradeço ao Paris por acreditar no meu potencial e no meu futebol, e espero retribuir da melhor maneira possível”, salientou.

Neymar ainda colocou a conquista inédita da Uefa Champions League pelo PSG como um de seus objetivos principais no clube, e também feliz elogios ao Campeonato Francês, considerado mais fraco que o Espanhol, onde atuou nos últimos quatro anos.

“Eu quero marcar história. É por isso que eu vim ao Paris. Novos desafios, pela ambição que tem. Nosso objetivo maior é a Champions, mas não é só isso que a gente quer. Queremos ganhar todos os torneios que disputarmos”, ressaltou.

“(Sobre a Ligue 1 ser fraca) Foi uma coisa que escutei gente falando sobre a liga… Estão errados. Muito pelo contrário, conversei com quem jogou aqui e sei que é muito difícil. É um desafio muito grande para mim, para o clube de vencer a liga novamente. Acho que o Paris tem um potencial muito grande de se tornar o maior time do mundo”, completou.

(Créditos: ESPN)