Após remédio contra H1N1, álcool em gel também se esgota em SP

Em pleno surto de gripe na cidade de São Paulo, o álcool em gel, usado para higienizar as mãos e uma das formas mais indicadas para evitar o vírus Influenza A (H1N1), está em falta nas farmácias, como mostrou o Bom Dia São Paulo desta quinta-feira (7).

A reportagem esteve em lojas da Zona Norte e do centro da cidade. “Eu ía comprar para mim, mas quando vi não tinha mais”, disse a funcionária de uma farmácia a Rua Voluntários da Pátria. Em uma drogaria que fica na estação da Sé do Metrô, o panorama era o mesmo.

Nos três primeiros meses de 2016, 59 pessoas morreram por causa da gripe no estado de São Paulo, 55 por H1N1 e quatro por outros vírus. Nos 12 meses de 2015, 65 pessoas morreram.

Por causa do surto de gripe, o Tamiflu, principal remédio usado em casos graves de gripe, também está em falta.

Em uma das farmácias, um funcionário orientava a reportagem a procurar o remédio em postos de saúde. Em outra loja, o farmacêutico disse que o medicamento estava em falta nas outras 16 farmácias da rede.

A Roche Farma Brasil, empresa que fabrica Tamiflu, diz que o aumento na demanda não estava previsto para a época do ano e, por isso, o estoque esgotou rapidamente.

(Créditos: G1)